C

carlos-santos

Carlos Santos (1893-1955)

Carlos Maria Platão dos Santos nasceu a 22 de Julho de 1893, na freguesia da Sé, Travessa do Forno 5, Funchal e faleceu no dia 6 de Outubro de 1955.
Filho de Maria Teodora Fernandes e João Pontes dos Santos.
Casou com Maria Antonieta da Silva, de quem teve três filhas e um filho.
Frequentou a Escola Industrial do Funchal. Trabalhou na indústria dos bordados, onde demonstrou os seus dotes no desenho.
Foi autodidata na música, aprendendo a tocar braguinha e bandolim. Com vinte anos de idade criou um grupo de bandolins com o seu irmão e amigos. Anos depois foi convidado a dirigir o grupo “6 de Janeiro de 1915”, cujo nome foi depois mudado para “Círculo Bandolinista da Madeira”.
Desde muito novo interessou-se por estudar o folclore da Madeira, tornando-se pioneiro na sua defesa e divulgação.
Desde 12 de Junho de 1927 trabalhou no periódico “O jornal”, periódico este que, a partir de 1954 passou a designar-se “Jornal da Madeira”.
Em 1932 foi nomeado Chefe de Redacção do referido periódico.
Foi director do Grupo “Os Folcloristas”, criou um grupo com o seu nome, em 1949 assumiu a direcção do Grupo de Folclore da Casa Do Povo da Camacha, e ensaiou grupos na Boaventura, Ponta do Pargo, Livramento e Ponta do Sol.
Carlos dos Santos escreveu artigos e realizou conferências sobre a cultura madeirense.

livros-carlos-santosPublicou três livros fundamentais ao estudo do Folclore da Madeira:
Tocares e cantares da ilha: estudo do folclore da Madeira. Funchal: 1937
Trovas e bailados da Ilha: estudo do folclore musical da Madeira. Funchal: 1942
O traje regional da Madeira: Estudo. Funchal: 1952

necharabanda
Revista Xarabanda. Edição especial de 22 Julho 1993. “Carlos dos Santos (1893-1955) e o Folclore Madeirense”

 

Anúncios